Mother

mae-abre2

Qual será meu filho?

• Eu e a Márcia, uma amiga, fomos buscar o filho dela

na escolinha, na época da Páscoa. Saiu do portão

mais de 15 criancinhas com máscaras de coelho gritando

mamãe. Ela olha pra mim, olha para aquele bando de coelhinhos

gritando e sem conseguir identificar o próprio filho se

abaixa e espera que o coelhinho a escolha novamente. Ela sorri

aliviada.

Não é a mamãe.

• Edilzen foi visitar seu filho Dani na Austrália.

Lá foram pegar uma praia juntos, e o filho aproveitou para

surfar com os amigos.

Da praia ela acompanhava seu filho lá longe fazendo todo

o tipo de manobra radical, caindo, ondonas grandes, ondinhas,

prancha prum lado, filho pro outro, ela sorria. De felicidade

e de amor. Amava aquele garotão que acenava para ela do

mar. E ela retribuía. Amou aquele momento. Ela, seu filho

e as ondas australianas. De repente olhou pro lado e percebeu

que seu filho não havia entrado sequer na água e

que o rapaz na água era um ilustre desconhecido, que inclusive

já havia desaparecido do seu olhar. O sentimento por aquele

surfista foi verdadeiro. Ela se sentiu mãe dele.

O que há de tão fundamental nas mães,

que as tornam autoridade suprema?

Vou arriscar: Ela tem nas mãos o poder da criação

de uma vida. E o da destruição na mesma proporção.

Seja dentro do próprio ventre, seja durante a vida. Ela

é a guardiã de valores sutis a serem transmitidos.

Valores como cooperação, delicadeza, tranqüilidade,

ritmo… Precisamos aprender isto com as mães para pacificarmos

nossa existência.

E se elas falham nesta missão?

Vamos escolhendo novas mães, compensando, adotando, inventando algumas para que nos oriente,

porque estas vivências são a água da nossa alma. Sem estes ensinamentos, crescemos cheios de galhos retorcidos,

esturricados, frágeis, crescemos doentes, vivemos doentes e morremos aliviados. Nossa existência inteira terá

sido em vão.

Hoje é o dia das mães. Mais uma vez. Mais uma vez um agradecimento por tudo. Tudo exatamente o quê? Uma nova

consciência? Uma nova visão de mundo? Qual herança ela vai te deixar? Provavelmente todos os frascos vazios de perfumes

do Boticário, que você comprou correndo nas sextas-feiras.

Esta semana recebi o email da Illa, minha enteada querida...

Apresentando-me outra mãe. Interessante como no mundo tem algumas delas que de fato trabalham estes valores femininos e

nos encorajam.

Conheça Mata Amritanandamayi, seu longo nome em sânscrito,

Mata Amritanandamayi, significa “Mãe da Eterna Felicidade”.

Ela nasceu na Índia e é considerada um ser realizado,

mais do que isso, uma santa viva, encarnada. Mas milhares de pessoas

em todo mundo já a conhecem como simplesmente Amma (Mãe),

ou Ammachi (querida Mãe).

amm35jyt

Para conhecê-la melhor: http://www.ammachi.org/brazil/

Mas quem é ela?

Nascida em uma pequena aldeia em Kerala, Índia, no dia 27 de Setembro

de 1953, Seus pais deram-Lhe o nome de Sudhamani, que significa:

‘Jóia Suprema’.

Sudhamani foi uma criança muito diferente, seus pais desde

muito nova a encontravam absorta em profunda meditação,

cantando mantras a Krishna e dançando. Eles só iriam

entendê-la mais tarde. Sudhamani dizia a seus pais: “O

próprio propósito de meu nascimento é o de

sofrer pela ignorância dos outros.” Ela transbordava

de amor e compaixão por todos os seres vivos, queria lhes

aliviar o sofrimento.

Sua sadhana (prática espiritual) culminou com a total dissolução

de seu ‘eu’ pessoal na Divina Mãe do Universo. Ela retrata

sua experiência: “Sorrindo, a Divina Mãe tornou-Se

um corpo de luz e fundiu-Se comigo. Minha mente floresceu e foi

banhada pela luz de vários tons da Divindade. Daí

em diante, eu nada reconheci como separado do meu próprio Ser.”

Também conhecida como a famosa “santa dos abraços”,

já abraçou milhares de pessoas de todas as partes

do mundo, um abraço gostoso, apertado e chacoalhado, o

darshan da Amma é único na história. Quem

teve o privilégio de receber esta benção

não esquece o calor deste abraço.

“Amma é a encarnação do amor. Sua presença cura.”
Deepak Chopra

“Amma é considerada uma proeminente líder espiritual”

Nações Unidas

GermaineGreer

“Acredito

que somente quando as mulheres tornarem a política

irrelevante, através de um ato cooperativo e

espontâneo, de um tipo que não vimos antes

e que está muito distante da idéia de

estrutura estatal e social encontradas tanto no modelo

patriarcal quanto no matriarcal, estaremos dando lugar,

de fato, a uma nova estrutura, fundamentada em formas

sutis de inter-relações que permitirão

quebrar a espinha do poder e descobrir a mágica

da cooperação”.

Germaine Greer
Texto reproduzido no CD Universal Mother, da cantora irlandesa Sinead O’Connor

Sinéad O’Connor Universal Mother

universal_mother_big

ouça:Sinead O’Connor – My Darling Child
Shared via AddThis
1.get maine

2. fire on babylon

3. john i love you

4. my darling child

5. am i a human?

6. red football

7. all apologies

8. a perfect indian

9. scorn not his simplicity

10. all babies

11. in this heart

12. tiny grief song

13. famine

14. thank you for hearing