E agora José?



A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
você que é sem nome, que zomba dos outros,
você que faz versos, que ama, protesta? e agora, José?
Está sem mulher, está sem discurso, está sem carinho, já não pode beber,
já não pode fumar, cuspir já não pode, a noite esfriou, o dia não veio,
o bonde não veio, o riso não veio não veio, a utopia e tudo acabou e tudo fugiu e tudo mofou,
e agora, José? E agora, José? Sua doce palavra, seu instante de febre,
sua gula e jejum, sua biblioteca, sua lavra de ouro, seu terno de vidro,
sua incoerência, seu ódio – e agora? Com a chave na mão quer abrir a porta,
não existe porta; quer morrer no mar, mas o mar secou;
quer ir para Minas, Minas não há mais.
José, e agora? Se você gritasse,
se você gemesse, se você tocasse
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse…
Mas você não morre,
você é duro, José!
Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia, sem
parede nua para
se encostar, sem
cavalo preto que
fuja a galope,
você marcha,
José! José,
para onde?

poema de Carlos Drummond de Andrade: E agora José?

É IRREVERSÍVEL…
MAS VAMOS FAZER PARTE DA SOLUÇÃO!

Elisabet Sahtouris Ph.D. é bióloga evolucionista, futurista, autora, palestrante e consultora em Design de Sistemas Vivos. Apresentando a importância dos sistemas biológicos no design organizacional, ela já esteve nas Américas do Norte, Sul e Central, Europa, Asia, Africa, Australia e Nova Zelândia. Cidadã americana e Grega, com Ph.D. canadense. Realizou seu doutorado atuando no Museu de Historia Natural em Nova York, ensinou na Universidade de Massachussets e no M.I.T, para a Horizon/Nova Tv onde atuou como cientista escritora.
Esteve na China a convite do Associação Nacional de Ciência Chinesa, organizou o Celebração da Terra em Atenas, Grécia em 2000 e tem sido consultora para as Nações Unidas em assuntos indígenas. Ela é participante dos diálogos de Humanity 3000 da Fundação para o Futuro com Dalai Lama em Dharamsala, além de ser consultora para organizações na Austrália, Brasil e nos Estados Unidos.
Dr. Sahtouris se utiliza dos principios e praticas da natureza revelada na evolução biológica, como modelo útil para mudanças organizacionais. Ela aplica estes princípios no mundo corporativo, economia e políticas globais, em nosso esforço de criar saúde sustentável e bem estar para humanidade dentro dos maiores Sistemas Vivos da Terra.

Estamos com ela: Escolhemos ser parte da solução e não do problema.

Acompanhe seus ensinamentos:

1 O UNIVERSO ESTÁ BEM E VIVO
O universo inteiro dos átomos às galáxias é um sistema vivo e auto-criativo.
Apesar desta enorme crise que estamos vivendo, alguns de nós vêem esta situação como uma grande oportunidade de criar um novo futuro. De sepultar para sempre esta relação capitalista eu ganho-você perde baseada na competição, para uma nova economia colaborativa, onde a cooperação é a chave da nossa preservação. Entropia está em equilibrio com sintropia.
A natureza da natureza é ser conservadora quando as coisas vão bem e muito criativa quando elas não estão bem, especialmente em um ecosistema destruído ou quando ocorre algum desastre sempre é seguido pela repentino aparecimento de muitas novas espécies. Em minha perspectiva isto não é coincidência.
Uma estória que inspira e encoraja em nossa rápida maturação, fortalecendo nossa crença de que a natureza está ao nosso lado neste processo de aprendizado. Somos e pertecemos a esta natureza.

Entropia vem do grego em (em) + trope (transformação), e, espontaneamente, a Entropia final é maior que a inicial, tendo uma variação sempre positiva. A variavariação positiva da Entropia indica o sentido natural para que qualquer evento ocorra.

2 NÓS CRIAMOS NOSSA REALIDADE E A NATUREZA INDICA O CAMINHO

Olhe à sua volta e observe que toda a criação humana teve origem a partir da imaginação de alguma mente, então não me diga que não criamos nossa realidade a partir da nossa consciência. O interesse próprio não é ruim, desde que em consonância com o todo e visando o benefício comum. É como no corpo humano, se um grupo de células quer crescer sozinho, sem respeitar a ética do organismo, surge o câncer. Quando as células negociam através de um sistema maior, cooperativo e harmônico, não há espaço para o câncer.
Essa cooperação madura, como defende a bióloga, está presente na globalização. Segundo ela, a troca de informações em todo o mundo é uma forma de colaboração que coloca o planeta em sintonia de forma holística, dando aos acontecimentos locais o mesmo grau de importância dos globais. A globalização é o nosso esforço para crescer fora desta economia hostil ganha/perde em direção a uma família global que funcione para todos.
É preciso enxergar as empresas como organismos vivos, sustentáveis. A partir daí, o aquecimento global poderá ser um processo de paz, pois dos desastres naturais emerge o que o ser humano tem de melhor, que é o espírito de colaboração.
A manira de gerir as organizações demonstra que os humanos são os únicos seres vivos que não têm um sistema ético. No restante da natureza há cooperação. Um sistema global ou local só vai crescer se todos os membros caminharem juntos. A harmonia é a ética inteligente.
Cada uma de nossas células têm a complexidade sustentável comparável a uma grande cidade – e perceba como nossas trilhões de células do corpo funcionam em perfeita harmonia. Isto deveria ser mais complicado do que harmonizar os 6 bilhões de pessoas juntas. Se fôssemos comparar o corpo humano com a maneira como os negócios são feitos hoje, é como se o coração fosse dono do organismo e o sangue só circulasse nos órgãos que pagassem por ele. Mas um organismo não sobrevive se o sangue vai somente para alguns órgãos. Assim deve ser: é preciso haver uma troca, uma reciclagem, uma cooperação e não competição. Mas felizmente já existe cooperação entre nós: da área de comunicação a unidade do dinheiro, diálogos inter-religiosos, tratados internacionais, estações espaciais…. O que nos falta é a adoção deste sistema econômico você ganha-eu ganho, copiado do nosso sistema celular, que gera abundância através do compartilhar e reciclar. Nós temos a informação, o insight e o poder necessários para criar um mundo onde cada um se torne cooperativo. Examente como nossas células.

3 OS JOVENS TEM UMA FORÇA SEM PRECEDENTE
PARA CRIAR O MUNDO QUE ELES QUEREM

fotos realizadas durante o Conectivity 2006 São Paulo SP

A internet é um dos maiores sistemas vivos auto-organizados do planeta. Os jovens hoje tem um poder enorme porque a internet possibilita um diálogo mundial sem os limites políticos. O Instituto de Tecnologia de Massachussets e a China, estão desenvolvendo um laptop tão barato que os jovens de todo o mundo poderão se tornar co-criadores do futuro que desejarem.
Observem o uso que eles já fazem da internet: Enquando os adultos se utilizam da internet comercialmente, sexualmente e ideologicamente, os jovens mostram pouco interesse em racismo, assuntos de guerra ou ambição. Eles estão distantes de ideologias, são muito mais abertos a novas idéias. Nossos jovens estão se tornando agentes de suas próprias vidas, publicando blogs, produzindo e distribuindo suas próprias músicas e vídeos, formando organizações como Youth for Environmental Sanity, e outras incontáveis associações para justiça social, paz e questões ambientais. O maior desafio para eles é a mudança do sistema econômico de tal forma, que ninguém aparecerá se uma guerra for deflagrada. Por causa da internet, nunca uma geração esteve tão bem equipada e informada individualmente e em grupos através de culturas, religiões e ideologias do que a atual

4 MESMO QUANDO NÃO HÁ DINHEIRO,
AS PESSOAS CONTINUAM REALIZANDO SEUS SONHOS

A experiência mais impressionante que eu já vivi foi na China, em 1974, nas montanhas Taihang, um projeto de irrigação chamado Red Flag Canal. Procure no google e se emocione também. Apesar da torcida contra definir o projeto como “Um dos mais sem sentidos projetos realizados na China por pobres sem educação formal e com as ferramentas primitivas”. Jovens de 350 vilarejos sem água, sonharam construir um desvio para trazer água do rio mais próximo há 60 km de distância em uma região montanhosa. Impossível, diziam os governantes. 10 anos depois não só construíram o maior aqueduto totalizando 1500 km de comprimento, como também, construíram 40 estações de fornecimento de energia, 200 reservatórios de tamanhos médios e pequeno. O que era uma região desértica, hoje garante a estes povoados uma boa safra de alimentos todos anos graças a cooperação entre eles.

5 ECONOMIA ESTÁ COMEÇANDO A SER MENSURADA PELA QUALIDADE DE VIDA

Alguns anos atrás, o rei do Butão anunciou que a economia ali seria mensurada pela felicidade de seu povo. Para muitos uma idéia engraçada. Para a cientista Hazel Handerson, não. Ela tem estabelecido padrões indicadores de qualidade de vida muito mais de acordo com a natureza humana do que os indicadores monetários PIB. Porque o custo da limpeza do derramamento de petróleo, psiquiatras ou toxinas em nossa comida por exemplo deve ser contabilizado como benefício da economia, quando nosso foco deveria ser educação, eco-sistemas saudáveis e medicina preventiva?
Percebo que países como Butão e Brasil estão procurando medidas econômicas indicadoras de qualidade vida como uma alternativa real para ajudar a resolver dívidas e trazer benefícios reais. Se a mente de uma nação está focada neste modelo econômico ganha – ganha, será possível recriá-las em ambientes cada vez maiores.

6 NÓS TEMOS KNOW HOW PARA MUDAR PARA UMA ECONOMIA SUSTENTÁVEL

Fuçar no lixo da natureza atrás de combustível fóssil, foi um jeito sujo e hoje sabemos, insustentável, para construir uma economia de escala. As reservas estão acabando e o resultado desta nossa ação provocou poluição e aquecimento global. Felizmente a natureza nos dá alguns outros modelos a serem seguidos.
Janine Benyus nos indica a direção: – Podemos criar uma economia baseada no carbohidrato ao invés de hidrocarbono, evitando que o caro processo de produção – Aqueça, Bata e Trate transforme os resíduos em lixo não reciclável. Muitos exemplos são demonstrados diariamente – Na Nova Zelandia um homem demonstrou que a água poderia se combustível para sua motocicleta, bem como um amigo meu lançou lá também, um projeto Lixo-zero também na Austrália e Europa. Em resumo, nós seres humanos temos toda a inteligência e conhecimento que precisamos para criar uma economia limpa e sustentável que funcione para todos, sem limites para novas tecnologias, exceto que estas não serão poluidoras, tóxicas e certamente recicláveis.

7 O AQUECIMENTO GLOBAL PODE SE TORNAR O NOSSO MAIOR PROCESSO DE PAZ
Não há nenhuma forma de reverter este quadro. Enquando acredito que nós seres humanos temos alguma responsabilidade por este Aquecimento Global, é muito mais urgente encarar este desafio do que discutir suas causas. Quanto mais quente fica, mais as geleiras e tundras congeladas derretem. Quanto mais elas derretem, mais quente fica porque diminuem a reflexão de calor para fora da Terra. Porque a natureza é um sistema complexo vivo e não um mecanismo previsível, o quanto os oceanos vão subir e em quanto tempo, variam muito. Haverá uma outra mini-era do gelo na Europa e ao mesmo tempo um aquecimento global. Há um consenso, mesmo entre os entre os cientistas conservadores, de que as milhoes de pessoas no mundo que habitam as áreas costeiras, deverão ser tranferidas para novas cidades, montanha acima.

A boa nova é que as pessoas diante de crises destas magnitude se tornam cooperativas e pacíficas. Nós temos tempo para trabalhar nesta cooperação internacional e necessária para transferir estes milhões de habitantes montanha acima e trabalhar em soluções de crise climática extremas, mas temos que fazê-lo. E a nova ordem é o que não se sustentar, deve ser trocado. Esta é a definição de insustentável.

O Aquecimento global pode nos oferecer uma grande oportunidade de começar de novo em um nível superior: figurativa e literalmente falando. Eu espero que a humanidade perceba no final deste século que esta crise trouxe paz e uniu os povos finalmente.

Eu imagino que o sistema de saúde e política de educação e habitação, atividade econômica, artes e entretenimento, a restauração do eco sistema será sustentável e trará maravilhosos exemplos de nossa capacidade conduzindo-nos a uma elegante simplicidade. Eu vejo a pobreza apagada deste processo, quando finalmente uma política de eu ganho – você ganha seja implementada.

Quanto mais cedo criarmos nossa visão de tudo que desejarmos, focarmos para implentarmos esta visão juntos, colocar nossa capaciade individual a serviço do coletivo, maior serão nossas chances de sucesso.

“Eu sustento meu otimismo como uma humilde estudante do nosso universo vivo, a Terra, que nos mostra claramente o caminho para superação desta crise adolescente para atingirmos a maturidade global futura” elisabet sahtouris

……………………………………………………………………………………………..

Iniciativas
São muitas, claro. Conheça estas

Mudanças climáticas: uma realidade
Secas extremas, inundações, furacões…. Pessoas que perderam suas casas, suas plantações, seus animais, sua fé. Essa é a realidade enfrentada por brasileiros em diversas regiões do País. A causa? As mudanças do clima. Apesar de muita gente ainda achar que aquecimento global é coisa de cinema ou que só acontecerá daqui a muitas gerações, um documentário que o Greenpeace lança no dia 23 de agosto mostra que tudo isso já é, infelizmente, uma realidade.
Confira o trailer do filme, envie para seus amigos e faça já seu cadastro para receber outros trailers e informações do lançamento. E fique ligado: em breve você poderá se cadastrar para ajudar a divulgar o filme na sua cidade.


UMA VERDADE INCONVENIENTE
An inconvenient truth

A menos que diminuam as emissões de dióxido de carbono e outros gases, o aquecimento global causará uma mudança climática irreversível, que acabará com a vida como a conhecemos. Esta é a mensagem do filme, que inclui também exemplos preocupantes dos efeitos catastróficos do Aquecimento Global: as rachaduras no Ártico, as geleiras que desaparecem provocando inundações e a previsão no desaparecimento das neves do Kilimanjaro.

Pode ser que o documentário seja só alarmista, como afirma o The Wall Street Journal, pode ser… Mas funciona como um pai preocupado, ao questionar o filho por ter voltado para casa, mais uma vez, tarde da noite e embriagado: _ O que você está fazendo com você mesmo?

An Inconvenient Truth (2006)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s